Menu

Projeto lei proíbe a participação de crianças nos desfiles das Escolas de Sambas de São Paulo.

20 JUL 2017
20 de Julho de 2017

Talvez os dias de participação dos nossos futuros sambistas nos desfiles  das escolas de samba de São Paulo estejam  com os dias contados. Tramita o projeto de lei, da Vereadora Rute Costa (PSD), onde proíbe a participação de crianças e adolescentes nos desfiles das escolas de Samba de São Paulo, a     “PL 0175/2017”.

A vereadora que é evangélica entende que o maior espetáculo da Terra, segundo seu projeto lei, é um lugar inadequado para nossas crianças.  E a multa para a Agremiação que infringir a lei será de até R$ 10.000,00 (dez mil reais) por hora de indevida exposição da criança ou adolescente ao ambiente impróprio.

A criança aprende a gostar de um legado cultural ao ter a sensação de pertencimento do mesmo. A participação de nossas crianças em diversos ramos artísticos faz com que essas culturas  jamais se finde, promovendo e garantindo  assim novos frutos póstumos.

Infelizmente lugares impróprios existem, e que com certeza não é no Samba, ao lado de seus familiares, que na maioria das vezes são componentes das escolas, e sem contar no cuidado imenso das harmonias das escolas de Sambas  para com as crianças.

Lugares impróprios para as crianças, como qualquer pessoa sabe,  é quando as vemos  nas noites frias dormindo amontoadas nas maquises e calçadas de São Paulo, e quando vemos crianças brincando á beira de esgotos ou  pedindo em semáforos ao invés de estarem nas escolas.

“Alguns” políticos deveriam de certa forma entender que o Brasil é um país de grande diversidade Cultural e Religiosa, e que suas convicções  ideológicas “pessoais”, não devem interferir nesse processo Social. Uma postura de Neutralidade deve ser tomada não só na ciência, mas nos direcionamentos da Nação por parte de alguns dirigentes.

Por Shirlei Dias (Socióloga)

Fotos: Arquivo

 

Voltar